Há mais de 50 anos, o Instituto Gallup começou a fazer uma mesma pergunta às pessoas: “Como seria o melhor futuro possível para você?”.

A busca pela resposta durou décadas, passou por mais de 150 países – entre os 193 que existem no planeta – e transformou-se em uma pesquisa cuja amostragem abrange mais de 98% da população mundial.

Para a maioria das pessoas do planeta, o melhor futuro possível inclui boa saúde.

Esse anseio compartilhado por bilhões de pessoas no planeta é uma parte importante do que chamamos de bem-estar físico, que não se trata apenas da ausência de doenças, mas de escolhas referentes ao estilo de vida que sejam capazes de favorecer a saúde e promover o equilíbrio entre corpo e mente.

O corpo e o funcionamento otimizado

É por meio do nosso corpo que criamos e exprimimos sentimentos, emoções, comportamentos e pensamentos. É o que nos diz o conceito de cognição incorporada, segundo o qual nosso conhecimento e nossas representações mentais estão integradas com nosso sistema sensório-motor. Ou seja, tudo o que chega à nossa mente passa antes por nosso corpo.

Você já parou para pensar nas implicações disso?

Considerando este contexto, surgiu o conceito de saúde positiva, um novo campo do conhecimento, proposto por Martin Seligman, o “pai” da psicologia positiva. A saúde positiva direciona o seu foco para aquilo que nos torna saudáveis.

Nós sabemos que sedentarismo, stress, má alimentação, sono precário e uma série de outros fatores presentes contribuem para que a gente adoeça. Mas será que sabemos o que, de fato, nos torna saudáveis?

Segundo Seligman, a saúde positiva não é a mera ausência de doenças. É estar bem nos três pilares que compõem a saúde positiva. Estes pilares constituem recursos que devemos adquirir ou preservar, forças que podem contribuir para uma vida mais longa e saudável.

  • Recursos biológicos: referem-se aos “terminais positivos das funções fisiológicas”, às varáveis biológicas relevantes à saúde em geral, como massa corporal, pressão arterial, temperatura, batimentos cardíacos, níveis de colesterol, triglicérides, glicose e outros.
  • Recursos subjetivos: referem-se aos estados que nos fazem sentir o bem-estar físico, como energia, vigor, vitalidade, sensação de força e de confiança em relação ao próprio corpo, de estar no controle de sua própria saúde. Aqui também entram os nossos níveis de otimismo, satisfação com a vida, emoções positivas, engajamento e nossa capacidade de encontrar significado em nossas vidas e naquilo que fazemos. Estes recursos, segundo Seligman, marcam a intersecção entre a saúde física e a saúde mental.
  • Recursos funcionais: referem-se à quão bem nós funcionamos. Isso inclui medidas de capacidade física, como flexibilidade, força, resistência e outras. Inclui também a “ecologia pessoal”, isto é, o estado otimizado de adaptação de nossas funções corporais às demandas e exigências do estilo de vida que escolhemos para nós: como trabalhamos, como amamos, como nos divertimos. Nossa ecologia pessoal é positiva quando dispomos de abundante força física e mental, energia e resistência para sermos bem-sucedidos em nossas atividades físicas e mentais em todos os âmbitos de nossa vida: pessoal, profissional, social, familiar, afetivo. Naturalmente, a manutenção ou a elevação de nossos recursos funcionais estão estreitamente ligadas à prática regular de exercícios físicos, à alimentação saudável e a todos os hábitos positivos que contribuem para melhorar nossa ecologia pessoal.

Por que negligenciamos nossa saúde? Por que é tão difícil mudar nossos hábitos?

As respostas destas perguntas passam pelos recursos subjetivos. Otimismo, emoções positivas, engajamento, satisfação com a vida, significado… Tudo isso pode agir diretamente sobre nossos recursos biológicos. E também pode agir indiretamente, na medida em que serve de poderoso estímulo para motivar a prática de atividades físicas e a adoção de um estilo de vida saudável. Sabemos que isso é essencial para que possamos desfrutar de mais bem-estar físico. Sabemos que o bem-estar físico é fundamental para que possamos funcionar de modo otimizado. E sabemos também que as mudanças necessárias para aumentarmos e mantermos nosso bem-estar físico acontecem – e perduram – quando nos sentimos otimistas em relação a elas, quando acreditamos que somos capazes de realizá-las.

Motivação intrínseca e bem-estar físico

A motivação é um importante aspecto no que diz respeito às mudanças necessárias para aumentarmos nosso bem-estar físico.

A autodeterminação é o ato de escolher e decidir por si mesmo, e de iniciar ações por vontade própria. Uma pessoa que possui um alto nível de autodeterminação tende a ser, também, uma pessoa intrinsecamente motivada, ou seja, que possui motivação intrínseca (ou interna). A motivação intrínseca é definida como a escolha e a decisão de fazer uma atividade pela satisfação inerente que ela oferece, descrevendo nossa inclinação natural para a assimilação, excelência, interesse espontâneo e exploração, essenciais para nosso desenvolvimento cognitivo e social e que representam uma importante fonte de prazer e vitalidade ao longo da vida (Csikszentmihalyi e Rathunde, 1993; Ryan, 1995).

Motivações externas também podem ser eficazes, desde que estejam alinhadas a nossos valores e aspirações. Imagine uma atividade em relação à qual você não esteja intrinsecamente motivado. Você pode encontrar a energia e o empenho necessários para realizar essa ação ao alinhá-la a seus valores e aspirações e a objetivos maiores, que façam com que você se sinta intrinsecamente motivado. Por exemplo, uma rotina de atividades físicas pode não fazer com que você se sinta intrinsecamente motivado. Contudo, se a motivação intrínseca estiver presente em seu objetivo final – melhorar sua saúde e vitalidade para que você possa viver mais e realizar mais – a motivação para os exercícios pode ser internalizada e alinhada àquilo que é importante para você.

Agora compartilhe comigo: como está o seu interesse pela prática de atividades físicas? E quanto à adoção de um estilo de vida mais saudável? Você percebeu a importância do bem-estar físico e está disposto a perseguir esse objetivo?