Primeiramente, gostaria de esclarecer o que é mindfulness. Traduzindo para o português, mindfulness quer dizer atenção plena.

Diferente da meditação oriental, que fala em esvaziar a mente para alcançar o equilíbrio, esta prática utiliza técnicas para focar no momento presente e reduzir as sensações negativas e as pressões do dia a dia que geram o estresse, a ansiedade, o cansaço ou a falta de concentração, por exemplo.

Para praticar, a pessoa deve reservar de 5 a 40 minutos do seu dia, direcionando toda a atenção para a respiração ou as sensações do corpo, conectando-se com o seu eu interior.

Esta técnica é importante porque as distrações cotidianas privam as pessoas da consciência do presente. Com este momento de atenção plena, é possível ficar mais focado na rotina diária, além de obter mais criatividade, autoconhecimento, saúde, relaxamento e satisfação pessoal e profissional. Além de tudo, a técnica também contribui para a prevenção de males como doenças cardíacas.

Como surgiu o mindfulness?

O mindfulness surgiu em 1979, na Universidade de Massachusetts, com sede em Boston, nos Estados Unidos. O conceito foi criado a partir de um estudo do professor Jon Kabat-Zinn em conjunto com o hospital da Escola de Medicina da instituição.

O criador do primeiro método de mindfulness já conhecia a meditação e o budismo há algum tempo. Jon foi convidado a usar esse método para tratar enfermos que não estavam respondendo bem aos tratamentos com remédios.

Foi então que desenvolveu um programa de oito semanas que ficou conhecido como MBSR – Mindfulness Based Stress Reduction.

O objetivo era que o grupo de pacientes participasse com a proposta de promover a qualidade de vida e o bem-estar de todos eles, independente da crença individual.

Ao fim das oito semanas, os resultados surpreenderam as equipes médicas e o método passou a ser utilizado por outros hospitais.

Por que você precisa de mindfulness?

Os desafios diários, com muitas responsabilidades e uma rotina agitada, podem comprometer o foco, memória e até a sua saúde mental.

Com essa prática, você aprende a se desconectar de assuntos que não têm relação direta com o que está fazendo. Além disso, ao se desligar de outros temas que não são relevantes para o momento, você mantém a mente livre e consegue elevar a sua criatividade.

 

Essa técnica tem feito parte da rotina dos profissionais das mais diversas áreas, com o objetivo de ajudar na tomada de decisões e para combater, principalmente, o estresse.

A capacidade de relaxar o corpo e a mente também pode ser importante na hora de conciliar conflitos internos, por exemplo. Logo, quanto mais desenvolvida for a capacidade do indivíduo de pensar conscientemente e ter o controle sobre suas atitudes, melhor tende a ser a sua performance enquanto profissional.

Sendo assim, não importa a sua profissão ou o seu estilo de vida: o mindfulness pode ser um importante aliado para proporcionar um maior estado de consciência, reduzir o risco de doenças cardíacas, câncer e depressão, além de melhorar o funcionamento do sistema imunológico e controlar os níveis da pressão arterial.

Em um estudo publicado pela revista Current Directions in Psychological Science, os pesquisadores da Carnegie Mellon descobriram que o mindfulness interfere de forma positiva na saúde por meio da redução do estresse, já que a prática aumenta a atividade no córtex pré-frontal do cérebro, região responsável pela tomada de decisões e planejamento.

Entre os vários benefícios do mindfulness, podemos destacar os que seguem abaixo:

  • Tratamento eficaz para a insônia

Uma equipe de psicólogos da University of Southern California ministrou um treinamento de seis semanas usando a meditação de atenção plena em um grupo de adultos com questões relacionadas ao sono. Ao final do curso, os pacientes conseguiam dormir mais rápido, mantendo o descanso linear e frequente durante a noite, além de reduzir a sonolência durante o dia.

  • Tratamento para alívio da dor

A técnica também surte efeitos positivos para pacientes que sofrem de dor crônica, conforme revelou um estudo de cientistas da Wake Forest Baptist Medical Center. Os pesquisadores descobriram que pessoas que praticavam meditação de atenção plena tiveram menos dores do que aquelas que receberam um placebo.

  • Auxílio na redução de estresse

Pesquisadores da Universidade Johns Hopkins, também nos Estados Unidos, submeteram estudantes de baixa renda e crianças negras a oito semanas de mindfulness. Quando comparados a outros grupos que não fizeram parte do programa de meditação, os alunos apresentaram níveis significativamente mais baixos de depressão, somatização, mau humor, ruminação e outros sintomas negativos que podem levar à ansiedade e depressão.

Como praticar o mindfulness?

Estima-se que o ser humano tenha quase 40 mil pensamentos todos os dias, mas só consiga processar 3% de todas as informações. Portanto, o primeiro passo para criar consciência acerca de si mesmo é encontrar tempo e espaço para meditar, mesmo que sejam pequenos momentos.

Com a prática da atenção plena, é possível começar a se sentir mais presente no seu estado atual, conquistando mais propósito e clareza sobre sua vida e seu trabalho.

Veja algumas dicas para começar:

  • Cultive a prática da gratidão pela manhã, afinal a gratidão tem um forte poder em nossa vida, e esse poder passa pelas nossas mentes. Ao acordar, pense em uma lista de pessoas e coisas que auxiliam você a se manter vivo e feliz no hoje. Dedique 10 minutos de concentração total para isso.
  • Permita-se sentir suas emoções, afinal, ignorá-las pode ser um gatilho para a somatização, causando grandes prejuízos para a sua saúde. Não lute contra suas emoções e se permita senti-las, fazendo uma meditação depois de uma reunião ruim ou no intervalo do almoço, por exemplo.
  • Pense em seus sentimentos e no que eles estão tentando lhe dizer. Questione-se sobre o porquê de você se sentir de uma determinada forma.
  • Pratique a “caminhada meditativa”, caminhando devagar e de maneira consciente, observando cada um de seus passos. Isso ajuda você a se conectar com o momento presente, reduzindo tensões e ansiedades.
    Faça este exercício no percurso do trabalho, no horário do almoço ou quando você puder tirar um tempo só seu.
  • Elimine suas distrações, fazendo uma lista com o que tira a sua atenção do presente, suga a sua energia ou o impede de focar no que realmente importa. Aos poucos, deixe de fazer essas coisas.
  • Conecte-se com a natureza, apreciando-a. Presenteie-se com um tempo ao ar livre, sentindo o ar entrando e saindo de seus pulmões, respirando pausadamente o ar puro, concentrando-se no cheiro das plantas, na beleza do verde, nas texturas e nas sensações que o meio ambiente pode proporcionar.
  • Pratique atividades físicas por pelo menos 30 minutos por dia, para manter o corpo e mente saudáveis.

A prática do mindfulness vem para agregar mais qualidade de vida, autoconhecimento e bem-estar, contribuindo para afastar os males físicos e mentais.

Você já pratica o mindfulness ou pretende praticar? Deixe aqui o seu comentário com a sua opinião sobre o assunto.

Seguir e compartilhar: