Confira 6 dicas baseadas na Psicologia positiva para terminar o ano com mais alegrias

A decoração nas lojas e nas ruas não deixa a gente esquecer que mais um ano está terminando. Épocas especiais como Natal e Ano Novo costumam trazer memórias de bons tempos e, quase sempre, de pessoas que amamos. Dá saudade de tudo e de todos. Mas muita gente não encontra refúgio e conforto no “espírito natalino” para sentir a mesma alegria que a maioria.

Enquanto alguns esperam ansiosamente por esse período do ano, outros desejam que ele acabe. Para alguns, a melancolia aflorada vira sinônimo de estresse, ansiedade, dor, perda, depressão e angústia.

Olhar para o ano que está acabando e analisar tudo o que aconteceu também pode causar frustração, desânimo e tristeza, sobretudo quando encaramos a realidade, as metas não alcançadas, os sonhos não realizados, os entes queridos que já se foram, a saúde debilitada, as crises familiares, os problemas financeiros, entre tantos outros desafios cotidianos.

Emoções positivas no seu dia a dia

O fim de um ciclo, qualquer que seja ele, pode despertar diferentes tipos de emoções e pensamentos. Dos mais simples aos mais complexos. Mas é possível trabalhar esses sentimentos para que não se tornem opressores. Não é fácil, mas buscar o autoconhecimento é o primeiro passo para identificá-los e usá-los de forma positiva em prol daquilo que se deseja.

Outra iniciativa é evitar pensamentos negativos. É um grande desafio, mas faz toda a diferença no dia a dia de qualquer pessoa. Se algo estiver ruim ou desfavorável na vida pessoal, profissional ou em qualquer outra esfera, mudar o foco e olhar para os aspectos que estão dando certo ajuda a encarar os desafios sobre uma perspectiva mais encorajadora e positiva.

Como chegar lá?

É natural que a virada de ciclo desperte nas pessoas o senso de avaliação de suas atitudes e comportamentos, assim como a necessidade de se estabelecer metas para o próximo ano. No entanto, é mais produtivo e saudável que tais avaliações sejam feitas constantemente ao longo dos meses, possibilitando reavaliações, reorganizações de rota e adaptações de projetos em curso. Isso evita que carreguemos aquela “mochila” pesada de frustrações por tudo aquilo que não foi conquistado do longo do ano.

A psicologia positiva ensina que quando se tem conhecimento das próprias habilidades, valores e pontos fortes, é possível descobrir como ser mais eficaz em busca de melhores resultados.

Criei uma lista com algumas dicas para você desfrutar das festas de final de ano com mais equilíbrio e positividade:

  • Pratique a gratidão: ser grato pelo que já tem e considera valioso, independente da natureza, seja um filho, um amigo, um animal de estimação, um emprego, faz toda a diferença para o emocional. A gratidão nos mostra o valor de cada pessoa ou pequena conquista, e desperta a capacidade de criar outra relação com o mundo ao seu redor.
  • Dê um presente para si mesmo: aproveite o Natal e o Ano Novo para se dar algo importante e que tenha significado, seja uma roupa, um eletroeletrônico, uma viagem, um bichinho de estimação etc. Enfim, algo que te faça realmente feliz.
  • Socialize: mesmo que você curta momentos a sós, evite isolar-se por muito tempo. Aproveite os dias de folga para ir ao cinema com um amigo, visitar aquele familiar que faz tempo que não vê para colocar o papo em dia, fazer atividades ao ar livre e conhecer outras pessoas. Circule!
  • Cuide de seus relacionamentos: relacionamentos são todas as relações interpessoais que você desenvolve diariamente nas diferentes esferas da vida – seja no trabalho, academia, faculdade, em casa, com amigos ou vizinhos. Uma pessoa com uma rede saudável vive com mais qualidade e bem-estar.
  • Planeje e organize metas de forma positiva: para a lista de desejos e objetivos do próximo ano, pense em cada item com comprometimento e consciência. Faça projeções e defina metas detalhadas, concretas e viáveis. Não torne sua lista uma fonte de frustração. Planejar e realizar gera emoções e substâncias químicas que nos impulsionam a buscar sempre mais.
  • Não se compare com os outros: a grama do vizinho sempre parece mais verde que a nossa, mas não é verdade. Com as redes sociais é comum achar que a vida do outro é melhor do que a sua. No entanto, nem tudo o que é postado no ambiente digital retrata a realidade como ela é. Afinal, ninguém expõe nas redes suas inseguranças, tristezas e fracassos.

 

Por fim, a dica é: use essa época de reflexão a seu favor. Invista em seu autoconhecimento, valorize suas qualidades, reconheça os aspectos positivos de sua vida e de quem está ao seu redor. Utilize todos esses elementos como motivação para superar seus desafios, corrigir o que não deu tão certo e conquistar seus objetivos no próximo ano.

Seguir e compartilhar: