Aprenda a estimular emoções, gerar comportamentos e utilizar técnicas de mindfulness para manter uma saúde mental positiva

A quarentena já está prestes a completar três meses em diversas regiões do País e, apesar da flexibilização em alguns estados e cidades, muita gente ainda sofre com os efeitos do isolamento social.

Isso é o que revela um recente estudo realizado pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), do Rio Grande do Sul. Das 3,6 mil pessoas que participaram do levantamento, 65% dos entrevistados relataram piora na saúde mental durante a pandemia. A percepção faz parte das conclusões da primeira fase da pesquisa chamada de CovidPsiq, que começou em abril e terá duração de seis meses.

Para 46,6% do total, a saúde mental “piorou um pouco” com as restrições à circulação e, para 18,4%, “piorou muito”. Segundo os pesquisadores, quem estava em confinamento apresentou mais sintomas de estresse, ansiedade, depressão e estresse pós-traumático.

Dados como esse chamam a atenção a respeito dos cuidados necessários para elevar o bem-estar, que não é apenas um conceito – é uma ciência. Ou seja, é o estudo empírico de tudo aquilo que contribui para que as pessoas floresçam.

Essa ciência, aliás, está recebendo um destaque cada vez maior em virtude da sua importância justamente para a saúde mental positiva. Não à toa, a própria Organização Mundial da Saúde (OMS) a define como: “um estado de bem-estar no qual o indivíduo desenvolve suas habilidades, consegue lidar com o estresse do dia a dia, trabalha de modo produtivo e é capaz de dar uma contribuição à sociedade”.

Manter uma saúde mental positiva, portanto, significa equilibrar as diversas dimensões do bem-estar (físico, emocional, social, intelectual, espiritual, ambiental e profissional) que estão ligadas às diferentes áreas da nossa vida.

 

Mas, afinal, o que é bem-estar?

De maneira mais ampla, bem-estar pode ser definido como um estado dinâmico no qual o indivíduo é capaz de:

  • Desenvolver seu potencial.
  • Trabalhar de modo produtivo e criativo.
  • Construir relacionamentos sólidos e positivos.
  • Contribuir com sua comunidade.

Para autores da psicologia positiva, “bem-estar é uma combinação de sentir-se bem e funcionar de modo otimizado”.

Sentir-se bem se refere a experimentar emoções positivas regularmente. Já funcionamento otimizado é ter controle sobre a sua vida, desenvolver seu potencial, ter um propósito e desfrutar de relacionamentos saudáveis.

A boa notícia é que o bem-estar pode ser sustentável. O segredo não é eliminar completamente as emoções negativas – o que, de qualquer modo, não é possível –, mas ser capaz de geri-las quando ocorrem.

 

Aprenda a gerar bem-estar

Sabia que estimular emoções positivas é uma das maneiras de elevar o bem-estar?

Em seus estudos, a Dra. Barbara Fredrickson, da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, destacou as dez emoções mais presentes na vida das pessoas.

Cultivar e estimular essas emoções é um fator preponderante para elevar a positividade – e, com ela, o bem-estar.

  1. Alegria: apreciar pequenas alegrias da vida também faz parte do processo de florescimento.
  2. Gratidão: valorizar as coisas boas que nos acontecem – inclusive os desafios.
  3. Serenidade: parar um pouco para saborear a vida, em vez de viver constantemente no estresse e na correria.
  4. Interesse: estabelecer objetivos motivadores e que gerem positividade.
  5. Esperança: criar uma visão do futuro e os meios para realizá-la.
  6. Orgulho: descobrir forças e talentos, além de atingir objetivos.
  7. Divertimento: cultivar o bom-humor, ser capaz de rir de si mesmo e do que lhe acontece.
  8. Inspiração: conectar seu bem-estar a um propósito mais elevado e a algo que dê um significado à sua vida.
  9. Encantamento: admirar a beleza, a bondade e a excelência. Encontrar modelos a seguir e ser um modelo para os outros.
  10. Amor: nutrir confiança, empatia e conexão. Ter e dar apoio.

 

6 dicas para otimizar o seu bem-estar

Além disso, também é possível colocar em prática os seguintes comportamentos para elevar a qualidade de vida:

  • Priorize: faça de você a sua prioridade. Assuma total responsabilidade por sua saúde e seu bem-estar.
  • Organize: uma boa gestão do tempo é essencial para que você possa priorizar seus objetivos de bem-estar. Rotinas caóticas não são compatíveis com uma boa qualidade de vida.
  • Energize: estabeleça objetivos que lhe tragam prazer, motivação e entusiasmo. Permita-se ser feliz!
  • Otimize: reavalie suas escolhas a partir do seguinte princípio: “estou investindo minhas energias em coisas que me dão o máximo retorno?”.
  • Valorize: inclua mais apreciação e gratidão em sua existência. Saber valorizar os bons momentos da vida aumenta seu bem-estar e sua satisfação.
  • Realize: monte sua própria agenda de atividades diárias e coloque-a em prática imediatamente. Sem ação não há realização.

Mindfulness é um grande aliado

Já ouviu falar em mindfulness?

Ultimamente, essa palavra é muito aplicada na psicologia positiva. Em tradução livre, significa “atenção plena”.

O mindfulness nada mais é do que um estado de consciência total no momento presente. Ele contribui para diminuir o estresse, elevar a inteligência emocional e o autoconhecimento, além de proporcionar mais calma e tranquilidade, gerar maior equilíbrio entre corpo e mente, aumentar a satisfação e o bem-estar.

Embora o mindfulness seja geralmente associado à meditação, existem várias outras formas de desenvolver a atenção plena:

Atividades

Qualquer atividade que você realiza pode se transformar em uma prática de mindfulness. Basta que você fique totalmente focado no que está fazendo.

Sons

Ouça conscientemente os sons de seu ambiente. Se estiver escutando uma canção, concentre-se no ritmo. Um estudo do Centro de Pesquisa de Acústica em Música da Universidade de Stanford mostrou que a música pode estimular as ondas cerebrais para ressoar em sincronia com a batida. As rápidas trazem uma concentração mais nítida e um pensamento de alerta. Já um ritmo lento promove calma e leva a um estado meditativo.

Sensações

As sensações físicas podem oferecer outra oportunidade para a consciência plena. Preste atenção em suas sensações, tanto físicas quanto emocionais. Embora isso possa ser feito em qualquer lugar, uma técnica adicional para focar a sensação é praticar a atenção plena no banho. Sinta o prazer de estar aqui e agora em meio à água.

Paladar

Comer de forma consciente tem sido usado de modo eficaz por pessoas que tentam emagrecer e querem sentir melhor o sabor da comida. Experimente saborear cada mordida, gole ou colherada. Coma devagar e sem pensar em mais nada, prestando total atenção no gosto, na textura e no aroma.

Pensamentos

Um dos principais obstáculos que as pessoas experimentam quando tentam focar o presente é a dificuldade de limpar a mente, isto é, não se perder no constante fluxo de pensamentos. Para lidar com isso, você pode deixar os pensamentos irem e virem, sem se envolver com eles. Outro modo é realizar alguma atividade cotidiana, como limpar a casa ou cuidar do jardim, colocando o foco nas ações que você realiza – e não no que se passa em sua mente.

Respiração

Colocar a consciência na forma como você respira é uma técnica eficaz de mindfulness. Inspirar e expirar devagar, sentindo cada movimento, contribui para o relaxamento físico, mental e emocional.

E aí, agora que você já chegou até aqui, que tal começar a praticar o mindfulness?

 

Quer saber mais sobre o assunto? Então confira meu programa PositivaMente no Spotify e Youtube, que vai ao ar toda 2ª. feira às 20h.

 

👇 Acompanhe as minhas Redes Sociais 👇

Instagram
Facebook
LinkedIn
Site

 

Seguir e compartilhar: