3 dicas para líderes e gestores da educação colocarem em prática

Quem é professor ou professora, sabe bem que as competências socioemocionais são uma das principais tendências para o futuro. Chamada de “educação positiva”, esse modelo segue normativas como a nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que estabelece o ensino de habilidades comportamentais nos currículos de escolas públicas e particulares de todo o Brasil.

Desde março, educadores estão trabalhando intensamente, mesmo à distância. Já que agora as aulas recomeçaram em diversas cidades, eles enfrentam a difícil tarefa de recuperar o terreno perdido com a perda de aprendizagem, que atingiu grande parte dos estudantes.

 

Diante desse cenário, o que é possível fazer?

Embora a covid-19 tenha complicado como as escolas atendem às necessidades socioemocionais dos alunos, algumas instituições adaptaram seus modelos para um ambiente virtual ou híbrido.

Reuni outros três pontos que devem ser considerados, afinal, será preciso muito preparo durante a pandemia e também quando ela passar.

 

1) Alunos que se sentem fisicamente e emocionalmente seguros na escola tendem a ter um melhor desempenho

Isso é o que diz um recente estudo realizado pela Universidade de Berkeley, na Califórnia, Estados Unidos.

Todos os sete fatores da cultura escolar medidos no levantamento (como o envolvimento do estudante e as relações aluno-professor) têm um efeito na aprendizagem socioemocional. No entanto, a segurança é a única com um efeito significativo sobre os resultados acadêmicos.

Então, além da segurança física, a emocional é igualmente importante e deve ser cultivada. Estabelecer relacionamentos afetuosos, atenciosos e confiáveis ​​é fundamental para que as crianças e adolescentes se sintam bem.

Ao criar essa sensação, líderes devem se perguntar:

  • Como você comunicou aos alunos e os familiares sobre seu plano para mantê-los física e emocionalmente seguros?
  • Como você pode criar oportunidades para ouvir e responder aos comentários sobre o plano e como ele está funcionando?
  • A sua escola já tem grupos de apoio e serviços de aconselhamento disponíveis? Se não, como você pode criá-los como parte de seu plano de reabertura? Em caso afirmativo, seus alunos acessaram esses recursos e confiam nos adultos que os administram? Se não, como você pode fortalecê-los daqui pra frente?

 

2) Quando os estudantes acreditam que suas habilidades e competências podem crescer com esforço, é mais provável que tenham melhores resultados de aprendizagem

Ter sucesso em alguma coisa – seja tocar piano ou fazer contas – requer prática persistente e foco. Os alunos permanecem motivados quando acreditam que seus conhecimentos melhoram com esforço. Nestes casos, os erros são uma oportunidade de aprendizado, não um sinal de fracasso.

Para tanto, é necessário estabelecer e manter uma mentalidade construtiva. Certamente, haverá contratempos à medida que escolas e professores experimentam novas maneiras de ensinar e os alunos de aprender. Porém, essas descobertas fazem parte do processo.

Pense bem:

  • Como você pode ajudar os professores a experimentar intervenções e práticas em sala de aula para promover uma mentalidade construtiva?
  • Que passos você pode tomar para criar um ambiente no qual os professores se sintam confortáveis para o desenvolvimento de uma mentalidade construtiva dos alunos?

 

3) Quem desenvolve maneiras de lidar com o estresse, emoções, sentimentos e comportamentos em diferentes situações tem probabilidade de se sair melhor academicamente

Aprender a enfrentar o estresse é uma parte normal do desenvolvimento saudável. Mas o estresse excessivo e prolongado pode ser paralisante. É papel das escolas ajudar os estudantes a criar maneiras de encarar suas próprias emoções, sentimentos e comportamentos.

Para se ter uma ideia, percepções dos alunos sobre habilidades de autogestão estão associadas a melhores resultados em matemática e leitura, por exemplo.

Reflita:

  • Como você pode incentivar práticas que ajudem os estudantes a identificar e verbalizar seus sentimentos e emoções e a desenvolver várias técnicas para lidar com eles?
  • De que forma os professores podem auxiliar os alunos a definir metas de aprendizagem, desenvolver planos para alcançá-las e refletir sobre seu progresso?
  • Qual é a abordagem da escola para apoiar os alunos e professores que voltam à aulas com ansiedade elevada e podem precisar de apoio?

 

Curtiu as dicas?

 

Se você é educador ou educadora, escreva aqui embaixo nos comentários se vale a pena colocar em ação esses ensinamentos. Conte, também, o que faz ou planeja fazer para trabalhar as competências socioemocionais.

Já se você é pai ou mãe, compartilhe esse texto com a escola do seu filho para que ele possa ter uma educação positiva ao lado dos colegas de turma.

 

Quer saber mais sobre o assunto? Então confira meu programa PositivaMente no Spotify , que vai ao ar toda 2ª. feira às 20h.

👇 Acompanhe as minhas Redes Sociais 👇

Instagram
Facebook
LinkedIn
Site

 

Seguir e compartilhar: